A intensificação das vendas online foi a alternativa dos revendedores de veículos independentes de sobreviveram à pandemia do coronavírus, mas não foi o suficiente para a retomada dos negócios, que já tinham sido reduzidos na segunda quinzena de março. O resultado foi uma queda drástica do volume de vendas em abril, o primeiro mês cheio da quarentena. Foram vendidas apenas 199.894 unidades, 83% a menos que em abril do ano passado, que teve 1.177.470 unidades transferidas, incluindo todos os tipos de veículos: carros, picapes, caminhões, ônibus e motos.

“Estamos vivendo uma situação complicada, que atingiu fortemente nosso setor. Estamos com lojas sem abrir há 45 dias para tentar contornar a questão do distanciamento social”, disse o presidente da Fenauto. Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores, Ilídio dos Santos.

Ao lado de outros dirigentes, Ilídio faz ações junto ao governo Federal, e aos governadores de estados sugerindo o planejamento de ações para a retomada gradativa das atividades produtivas e do comércio, com o objetivo de reavivar os negócios logo que a quarentena for atenuada.

No ano, janeiro a abril, as vendas de carros usados caíram 25,7% em relação ao quadrimestre do ano passado, com 3.343.593 veículos transferidos, contra 4.499.859 no mesmo período de 2019.

Mesmo quando as vendas são realizadas pelos lojistas, o processo não é finalizado, pois fica faltando o registro e o emplacamento do veículo junto ao Detran, que está fechado.

fonte: https://www.autoinforme.com.br/venda-de-usados-despenca-83/