Registro oficiais são de 51,3 mil unidades, mas vendas reais podem chegar a 70 mil.
Com apenas 51.362 carros licenciados, o primeiro mês cheio da quarentena do coronavírus foi um desastre.

Considerando que as concessionárias estão fechadas, até que o movimento foi razoável, isso porque as redes investiram na venda pela internet e entrega do carro na casa do cliente. A tendência das vendas virtuais, que já vinha crescendo apenas se intensificou com a quarentena e fez com que as vendas não caíssem a zero: o fluxo de loja caiu, mas o fluxo da internet cresceu.

Porém, esses 50 mil carros licenciados são apenas uma parte do volume vendido de fato em abril. Com a desobrigação de licenciar o carro OK até 30 dias após a compra (veja abaixo), muita gente está rodando sem o documento, apenas com a nota fiscal. Para você ter uma idéia, a cidade de São Paulo, que em fevereiro – portanto antes da quarentena – licenciou 52 mil carros, em abril registrou pouco mais de 400 unidades.

As vendas reais, no entanto, foram muito maiores: apenas 72, dos 645 municípios paulistas registraram algum licenciamento em abril. Somente 12 “venderam” mais de dez unidades, volumes infinitamente inferiores aos registrados em períodos anteriores.

Piracicaba foi o município paulista que mais licenciou no mês, com apenas 45 registros, contra um volume normal de 600 carros antes da crise.

Em todo o Brasil, apenas 2.769 municípios registraram licenciamentos de veículos, menos da metade dos 5.570 municípios brasileiros (mais o Distrito Federal). E só 56 cidades tiveram mais de 100 veículos (veja a lista).

Especialistas do mercado acreditam que os números reais de vendas fiquem entre 30% e 40% a mais do que o número de licenciamentos, ou seja, é provável que as vendas reais em abril atinjam entre 65 e 70 mil unidades.

Deliberação número 185 do Contran interrompeu o prazo de 30 dias para que o veículo novo possa circular sem placa até quando perdurarem as medidas de isolamento por conta do Covid-19. Assim, os carros comprados durante a quarentena poderão circular sem o documento, bastando apresentar a nota fiscal de compra em caso de fiscalização.

Oficialmente a queda em relação a março é de 67% (155.809) e de 76,8% em relação a abril do ano passado.

No acumulado do ano a queda chega a 27.2%: foram 801.528 carros vendidos de janeiro a abril de 2019 e 583.933 este ano.

Ranking de vendas

Conforme dito, os números de vendas estão abaixo da realidade; mesmo assim, a ordem do ranking permanece praticamente a mesma em relação aos meses antes da pandemia, com a GM na liderança com 10.008 carros licenciados, seguida pelas outras duas marcas tradicionais: Fiat, com 7.517 e Volkswagen com 7.211.

Em seguida aparecem Toyota, Ford, Hyundai e Renault, nesta ordem, todos da faixa das quatro mil unidades cada (veja), em seguida a Jeep, com 2.262, a Nissan com 1.730 e Honda com 1.5 mil.

Ranking por marcas
Abril-2020